Cosme: programa para a competitividade das empresas e das pme

O grande dinamismo demonstrado pelas pequenas e médias empresas (PME) assim como o seu forte contributo para o emprego e crescimento leva a que detenham um papel muito relevante no futuro da economia europeia.
A UE define oficialmente as PME como empresas que têm menos de 250 trabalhadores e que são independentes de grandes empresas. Além disso, o seu volume de negócios anual ou o seu balanço total anual não deve exceder, respetivamente, 50 milhões e 43 milhões de euros. Esta definição é fundamental para determinar quais as empresas que podem beneficiar dos programas que a UE destina às PME. As cerca de 23 milhões de PME europeias representam 99,8% do total das empresas europeias e perto de 67% dos postos de trabalho do setor privado. Geram mais de 4 milhões de novos empregos anualmente na Europa. É de notar que só cerca de 8% são exportadoras.

Para a maioria das PME, o principal problema é a carga administrativa. Os custos dos procedimentos administrativos para uma PME podem ser dez vezes superiores aos de uma grande empresa, o que torna essa carga desproporcionada para as PME. Foi por essa razão que a Comissão Europeia fixou dois importantes objetivos: reduzir de 25% a carga administrativa das empresas antes de 2012 e garantir que a nova legislação relativa às empresas se adapta às PME. O segundo maior problema que as PME europeias enfrentam é o acesso ao financiamento adequado.

A emblemática estratégia Europa 2020, que define o crescimento inteligente, sustentável e inclusivo como uma das prioridades fundamentais da intervenção da UE para reforçar a economia da UE, consagra, entre outros objetivos, um maior apoio à criação e ao crescimento de PME, facilitando o acesso destas empresas ao crédito e a sua internacionalização.
O Programa-Quadro para a Competitividade e a Inovação (PCI) da Comissão Europeia 2007-2013, que está quase a terminar, é um programa fundamental para abordar os desafios que se colocam à indústria da UE. O PCI visa contribuir para a competitividade e a capacidade de inovação da UE enquanto sociedade do conhecimento avançada, caraterizada por um desenvolvimento sustentável baseado num crescimento económico sólido e numa economia social de mercado altamente competitiva, com um nível elevado de proteção e de melhoria da qualidade do ambiente.

continuar a ler:

Advertisements

~ by vascoteixeira on December 31, 2013.

 
%d bloggers like this: